Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Tema do Dia - Substituições (#01)

 Todo o povo português tem um certo apreço pelo futebol, por isso não é de espantar que vivamos num país cheio de treinadores de bancada, homens e mulheres que do alto do seu sofá pensam saber mais do que qualquer técnico do futebol. Um chico-espertismo inerente a uma gente que nunca está contente com nada desde que me lembro. Bem, tendo em conta esta histórica herança cultural, decidi pôr-me à prova e mostrar que, também eu, sou melhor a decidir quem fica e quem sai (para depois ser corrigido por outros chicos-espertos nos comentários).

 
#1 

substituição 1.jpg

 

 Começo pelo futebol, só para isto fazer mais sentido. Eliseu tem sido aquele que todos os Benfiquistas adoram odiar praticamente desde que chegou a Lisboa (aposto que alguém no Belenenses também o odiava). Por isso decidi resolver o assunto de uma vez por todas, com o único homem que pode pode rivalizar com Bob Marley no amor pela Ganja, Snoop Doggy Dogg. O porquê desta substituição é simples: a principal regra de fumar erva consiste no famoso "puff, puff, pass", ou seja duas "passas" e passa-se a quem está ao lado. Logo aí são três passes com sucesso, uma melhoria de 300% em relação ao jogador açoriano.
 
#2 

substituição 2.jpg

 

 A minha segunda substituição consiste na troca do deputado José Manuel Coelho pela Sara Sampaio. Uma troca óbvia, afinal quem é que os portugueses preferem ver apenas de roupa interior e chapéu?
 
#3

substituição 3.jpg

 

 A minha última substituição é a mais difícil, porque ninguém quer vender action figures de "O homem do boné" ou vender bandas desenhadas de "O senhor simpático que ajudou a velhinha a atravessar a estrada", mas acho que já está na altura de focarem os blockbusters de Hollywood nos verdadeiros heróis do dia-a-dia, como este senhor que salvou um menino distraído pelo telemóvel de levar com um taco de Baseball na cabeça. Pessoas com quem a audiência se possa realmente identificar, e não o Deus do trovão ou um gajo verde e semi-nu. Resta apenas saber quem seria o vilão nesta história, o jogador que não conseguiu agarrar o taco? Ou então esta geração de gente que paga centenas de dólares para ir ver um jogo ao estádio mas mesmo assim não consegue levantar a cabeça de um pequeno ecrã?
 
 Bem, seja como for, se alguém concordar com isto estou a começar uma série de BDs intitulada "A sensacional senhora que segurou o elevador para eu entrar" e preciso de ilustradores. Os interessados é favor contactarem-me, obrigado.