Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Tema do Dia - Pornografia (#02)

Quase que já não ia a tempo de me debruçar sobre este tema, estava perdido na pesquisa. Mas isso fica para outra altura.

Eu identifico um problema na pornografia que é ser tudo ao contrário. Isto comparado com a normalidade do mundo real. 

 

Em qualquer outra situação se alguém se virar para o colega de trabalho e lhe disser que mal espera para lhe ver sem roupa, ou para tirar a camisa porque se quer perder naquele mundo fantástico ali escondido, é garantido que vai enfrentar um processo disciplinar por assédio sexual e, provavelmente, o despedimento. No entanto, nos bastidores do mundo pornográfico isto é a norma e não passa de conversa de circunstância. Andar pelo "escritório" a passar as mãos por tudo o que é corpo, massajar as pernas da "contabilista" com óleo, oferecer favores sexuais para recompensar um bom trabalho, é tudo comportamento aceitável e encorajado na pornografia. Mas, lá está, no mundo real, não passava de assédio sexual, processo, cadeia até. Deve ser o único local de trabalho em que o chefe propor sexo à sua subordinada como forma de esta subir na carreira e receber mais dinheiro pelos seus serviços não é um escândalo, mas algo desejado. Tudo ao contrário! Isto pode confundir as pessoas...

O que seria assédio sexual na pornografia, então? Já que aquilo que passa por isso no resto do mundo, e locais de trabalho, na pornografia é resolvido com o consumar desse assédio. Não faz sentido. E, se há coisa que eu goste, é que a minha pornografia faça sentido e seja coerente. Por esta lógica, sendo tudo ao contrário, será que é grave e "assédio" se na pornografia alguém não for apalpado? Se durante o dia de trabalho um dos actores não elogiar ou não se expuser aos colegas? Se não propuser actos sexuais durante o almoço? 

 

 

 

Isto faz confusão às pessoas. Nada funciona como no mundo real. É assim que vamos educar as nossas crianças? A dizer-lhes uma coisa e a mostrar o exemplo contrário? Eu não tenho filhos, mas suponho que se use a pornografia como forma de ensino. Mesmo que não se queira é aí que vão parar, portanto, que raio de exemplo estamos a dar ao mostrar um funcionamento incorrecto e disfuncional de um local de trabalho? Depois admirem-se...