Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

O Aniversário do Blog

Há uma semana foi o aniversário aqui do blog e pensamos em fazer uma grande festa para celebrar. No entanto, havia um pequeno problema: coincidia com os óscares. Como muitas das mesmas celebridades que participaram na cerimónia queriam marcar presença na nossa festa, decidimos adiar a nossa celebração por uma semana, para os óscares não ficarem à rasca sem nenhuma celebridade lá presente.

 

Uma multidão magnífica, enorme, maior que qualquer outra agregação de gente em Lisboa, cobriu o Parque Eduardo VII. Dava para ser visto do espaço, tamanha a grandiosidade da nossa festa. É a verdade, podem perguntar aos astronautas da estação espacial internacional, que estavam a acompanhar lá de cima tudo o que se passava e tiveram via streaming um grande discurso de agradecimento dedicado a nós.

Foi uma loucura no geral. Foram erguidos monumentos e estátuas nossas, árvores plantadas que ficarão durante séculos enraizadas nesta bela terra, abençoadas pelo papa (sim, o papa estava lá). Aliás, o papa teve um discurso lindíssimo e queria canonizar-nos, mas achámos que era injusto que isso acontecesse já; ficou a palavra dele que iria iniciar o processo, para quando morrêssemos já estar tudo tratado.

Estava lá toda a gente, de todos os cantos do mundo. Desde as personalidades mais conhecidas às pessoas comuns. Pessoas que venderam todas as suas posses para poderem estar ali presentes, gente que vendeu órgãos no mercado negro. Houve até um homem que veio a nado desde a Austrália, porque não tinha dinheiro para nada mais, mas era o quanto isto significava para ele. Ele não chegou a estar na festa, morreu, claro. Mas foi um bonito gesto, apesar de inconsequente, e, para coisas dessas, mais vale não fazerem nada.

Alimentámos um monte de gente, ficámos muito mais perto de acabar com a fome mundial, assim como estamos muito mais perto de paz no mundo. A quantidade de líderes mundiais que se uniu por nós, para nos celebrar… Conseguiram até pôr de lado as suas diferenças quando se aperceberam daquilo que todos têm em comum: o amor por nós os dois e pelo nosso blog.

 

Actuámos, também. Fizemos várias coisas, mas lembro-me daquele momento fantástico que aconteceu antes do presidente da câmara de Lisboa nos entregar as chaves da cidade, em que o Diogo estava a fazer o mais extraordinário solo de violino de sempre, enquanto eu fazia um assombroso solo de guitarra e, depois, trocamos os instrumentos entre os dois, a meio voo, enquanto saltávamos de um avião e descíamos em queda livre em direcção ao palco ao mesmo tempo que recomeçávamos mais dois excepcionais solos antes de aterrar como dois anjos e o céu se inundar no mais espantoso espectáculo visual: uma aurora boreal que veio até cá de propósito para nos agraciar com a sua beleza.

Ainda fomos agraciados com o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique pelo Presidente da República, pelo serviço público que aqui prestamos, para depois David Bowie e Prince ressuscitarem por uma noite e darem, em conjunto, um memorável concerto que só quem lá esteve consegue atingir o quão incrível foi, até eles os dois ascenderem de novo aos céus e Deus Nosso Senhor aproveitar a abertura para espreitar cá para baixo e fazer-nos o seu sinal de aprovação.

 

Que festa. Inesquecível. Da minha parte, e falando pelo Diogo também, só podemos agradecer a todos os envolvidos. É uma honra ser recebido assim e ver a vossa demonstração de afecto e carinho, o vosso entusiasmo e agradecimento por nós termos este blog. Para o ano há mais.

Este post é sobre culinária.

Fiz anos ontem.

Curiosamente, também fiz anos hoje.

E, se tudo correr como previsto, irei fazer anos amanhã.

 

Porque "anos" é o que eu chamo a um prato que inventei e que tenho dado a provar a vários amigos. Tem sido um sucesso, até porque só deve ser servido em festas.

De anos.

Daí o nome.

 

"Anos" é uma variante da receita de feijoada que a minha avó costumava fazer. Só que, no caso do meu prato, faz-se com vodka. E cereais. É cereais com vodka, vá. Mas a minha avó gostava muito de vodka, por isso achei que fazia sentido.

 

fwe.jpg Foi, aliás, o seu último pequeno almoço...
Antes de ir para as Bahamas.

 

Nunca me conseguiria governar a fazer anos apenas uma vez a cada doze meses, como a maior parte das pessoas... Não faria dinheiro quase nenhum, e depois morreria à fome.

E, no fim, não podia fazer quaisquer anos, nem o prato, nem em termos de idade.

 

Enfim, achei que iam gostar de conhecer novos pratos e diferentes modos de confecção.

Afinal, grande parte dos blogues de sucesso dizem respeito a esse assunto.

 

Brindemos então ao nosso sucesso!