Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Os jovens não comem elogios.

Os jovens portugueses não se alimentam de elogios.

O que é pena, porque parece que é a única coisa que lhes estão dispostos a dar.

 

Todos os dias, a toda a hora, há quem elogie os jovens portugueses: ou porque são muito trabalhadores, ou porque são grandes empreendedores, ou porque não têm medo de ir para fora e seguir com a sua vida, etc.

Também há quem diga que chulam os pais e que estão sempre agarrados ao telemóvel sem saber ainda o que é a vida, mas isso são contas de outro rosário.

 

GroupOfGirlsOnCellPhones-850x400.jpgTêm alguma razão, vá...

 

O problema é que esses elogios que os jovens recebem não se transformam em dinheiro - numa compensação real e palpável pelos seus esforços - e eles acabam por desmotivar. E depois, lá está, são considerados calões!

Se os elogios fossem comestíveis, então meu Deus... Era ver os jovens portugueses todos balofos, a vangloriar-se de terem comido até ao fim o grande elogio que haviam recebido do seu chefe meia-hora antes.

 

Infelizmente, não é bem assim.

 

Os jovens não conseguem gerir a sua vida só com um "Muito bem!", com um "Bom trabalho!" ou com a afamada "acumulação de experiência". A experiência é uma coisa muito bonita de se oferecer, mas não paga as contas que as pessoas têm no correio ou o carro que as leva para o trabalho (a menos que o seu trabalho seja mesmo roubar carros; nesse caso, até beneficia acumular experiência).

 

Tive uma ideia: em vez de elogiarem os jovens portugueses, dêem-lhes uma pastilha de morango de cada vez que eles fizerem um bom trabalho.

Não lhes vai matar a fome, mas dá-lhes algo para trincar enquanto fazem contas à vida.