Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Caridade e Costura

Tendo em conta que está em voga advogar a favor de alguma causa social, decidi juntar-me a essa moda. E por falar em moda...

 

roupa em falta

 

O que está representado na imagem acima é um problema. Um problema grave que está a assolar a sociedade e que ninguém liga. Pior, além de ignorarem, ainda é visto com desprezo e mal falado. Pessoas são gozadas e julgadas pelas suas escolhas de vestuário quando, na verdade, não têm culpa disso. Está na altura de abrirmos os olhos e lutarmos juntos para resolver este problema. Está na altura de darmos importância a casos como este, de quebrarmos o estigma que ainda existe e de parar de assumir que isto são escolhas pessoais, ou que são modas.

 

Chega! 

 

Existem pessoas que sofrem todos os dias com estes problemas. Pessoas que não têm meios para mais, que estão confortáveis na vida o suficiente para conseguirem ter tudo o resto, mas que ainda não conseguem comprar roupa com o tamanho certo para si. E depois vemos casos destes, em que andam na rua com roupa pequena demais e que deixam partes do corpo à mostra. E nós olhamos de lado para estas pessoas, ignorando o facto de não terem dinheiro suficiente para comprar roupa que lhes sirva, ficando restringidos a roupa antiga e que já lhes fica demasiado pequena.

 

Existem vários casos, e diversas variações dos mesmos, tanto a nível das razões como do resultado final. Roupa larga demais, curta demais, apertada... É triste. E mais triste ainda é continuarmos com uma passividade enorme em relação ao assunto. 

calças curtas :(
Ele não tem possibilidades para mais. Tentou arranjar emprego, foi a entrevistas, mas só tinha um fato. Fato esse que pertencia ao avô e para o qual ele já era alto demais. As calças ficam curtas. Ele não consegue arranjar emprego assim. E nunca vai ter dinheiro para comprar roupa que sirva. Não consegue sair deste ciclo vicioso.

 

 

Estas pessoas desenvolvem um mecanismo de auto-defesa para conseguir lidar com a pressão, a tristeza e o estigma social de não terem roupa que lhes sirva. Dizem que é moda, que é escolha pessoal, que gostam destas roupas e que são assim mesmo. E nós ignoramos enquanto elas sofrem e são ostracizadas. Tudo porque não reconhecemos este problema. Vamos lutar contra isto! Vamos ajudar estas pessoas.

 

Há ainda o caso daqueles que sofrem de doença. E, mais uma vez, doença essa que ignoramos por completo, aumentando a insegurança destas pobres almas, que não pediram para ser assim. Gente que sofre dislexia dimensional e que não é, literalmente, capaz de acertar no tamanho da roupa. É doença, não é escolha! Temos de apoiar, temos de ajudar, contribuir para a sensibilização e mobilização de todos os cidadãos. 

 

oh... está a cair. não serve :(Exemplos de dislexia dimensional :(

 

Estas pessoas têm de viver assim, é só o que conhecem e do que são capazes sozinhas. Acabou. Vamos ajudá-las, trazê-las de volta à sociedade. 

 

Foi com esse intuito que fundei uma instituição de caridade - A Costuraridade (site em construção). 

 

Nós, na Costuraridade (site em construção), vamos lutar por estas pessoas. Vamos ajudar com tudo o que nos for possível. Ajudem-nos a atingir os nossos objectivos e a resolver este assunto de uma vez por todas. Com a colaboração de todos seremos capazes. Vão ao site e façam o vosso donativo. Ajudem com aquilo que puderem. Dinheiro, roupas ou mesmo apenas pedaços de roupa, de panos, trapos do que for. Nós dispomo-nos a arranjar as roupas a quem padecer deste mal. A quem não sabe, ou não consegue, vestir-se normalmente. Cosemos roupa antiga que tenha bocados em falta, para taparem essas barrigas e tornozelos, por exemplo. Apertamos ou alargamos as vossas calças e muito mais. Vamos acabar com situações destas.

Calças a cair... mas ele não tem outras :'(

 

De uma vez por todas, vamos acabar com isto. E vamos parar de julgar estas pessoas sem antes lhes oferecermos ajuda. Lembrem-se que o problema não são elas. Não têm escolha.

 

Na Costuraridade (site em construção) dispomos ainda de cursos de costura, serviço de ajuda durante compra de roupa, costureiros (voluntários - vê como te podes juntar a nós no site [que está em construção]) sempre prontos a ajudar e resolver os vossos problemas e de plataformas de apoio para ajudar na inserção destas pessoas na sociedade após estarem reabilitadas, como, por exemplo, acções de formação em que ensinamos como se vestir correctamente e com roupa que nos sirva.

Ajudem-nos como puderem, através de donativos, voluntariado, ou a espalhar a palavra. Vamos devolver a dignidade a quem não a tem. 

 

Yay, nós estamos aqui para ajudar.

Contamos consigo na Costuraridade — Juntos Cosemos o Futuro.

 

 

2 comentários

Comentar post