Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

App - Eles andam aí!

Actualmente existem aplicações para dispositivos móveis para qualquer situação, sejam úteis ou inúteis (a maior parte é inútil). Da mesma forma que existem todas estas apps, também todos têm ideias para uma - e, novamente, com a maioria a ser inútil.

 

Ora bem, eu sou uma pessoa muito in, sei sempre tudo o que se passa e estou por dentro de todas as tendências. Aliás, acabei agora mesmo de encomendar um Walkman que vi num catálogo.

Agora sim , posso praticar os meus passos de dança a caminho do trabalho.Vou ser o gajo mais estiloso aqui da minha aldeia.

 

Em relação a estas apps que se fala, a minha ideia é boa. E útil. Já que devem existir apps para sabermos em que ponto da digestão vamos ou para catalogar todas as idas à casa de banho, penso que a minha ideia é mesmo válida.

 

Até me emocionou esta. Onde é que posso adicionar isto nas notas?Nunca pensei que era isto que me estava a faltar a vida toda...

 

A minha ideia é simples: uma app em que todos os utilizadores contribuem para divulgar e alertar para as localizações em que estão a ser efectuados peditórios.

 

Sim, claro, vocês são todos excelentes pessoas e isso é muito importante e contribuem todos os dias para todos os peditórios que encontram, por mais ilegítimo que alguns pareçam. Parabéns.

A verdade é que não é bem essa. Claro que eu gostava de ajudar toda a gente e todas as causas, mas não posso. Não tenho essa possibilidade. E como não sou uma terrível pessoa como vocês acham, eu fico sempre a sentir-me um bocadinho mal quando me abordam na rua em nome de alguma instituição, ou organização, ou o que for, e eu não contribuo.
E porque não contribuo? Porque raramente tenho dinheiro comigo, porque na generalidade dos dias, raramente o tenho, sequer, na conta bancária. E às vezes tenho, mas preciso dele. E sim, aqueles cêntimos vão fazer-me falta. É o único dinheiro que tenho comigo e preciso beber um café, porque me ajuda a concentrar, vai fazer a dor de cabeça passar e, assim, vou conseguir realizar bem o transplante de fígado que tenho agendado. A perda daqueles cêntimos pode significar a perda de uma vida.

Pronto, eu não cirurgião, portanto isto não se aplica, mas vocês não sabem, portanto não julguem; é essa a lição. Às vezes não tenho mesmo tempo nenhum para poder "perder" aqueles três minutos que durará a conversa.

 

E porquê não dizer só que não? Porque não é tão fácil como parece. Quando somos umas bestas, sim, mas no caso de não o serem... É claro que o faço, mas sinto sempre o olhar de desilusão e ódio que é lançado sobre mim, um olhar desconfiado que não acredita em nada do que possa dizer. Lidar com o facto de ter que dizer que não, sentir-me mal por não contribuir, sentir (ou imaginar, vá) todo o desprezo que cai sobre mim...

 

Porque não evitar isso tudo? Se quisermos contribuir, sim senhor, sabemos onde estão, senão é só passar ao lado. Caminhar por uma rua alternativa, utilizar outra saída, etc.

Acho que esta app tinha futuro. E de sucesso. A qualquer altura podíamos saber onde se encontravam todos os chatos que nos querem sugar o dinheiro e nos fazem sentir mal até lhes presentearmos com o nosso cartão bancário e respectivo pin.

 

Já estou a imaginar a interface a mostrar o mapa do local onde estamos e as suas redondezas, com todos os sítios em que alguém está a pedir, ou recrutar, assinalados e a ser actualizados ao segundo pelos fantásticos membros desta comunidade de egoístas, com sugestões de percursos alternativos a surgir em tempo real, notificações sempre que algum novo movimento era detectado...

Imaginem poder andar pelas ruas e saber que a vossa bondade não vos vai afectar a carteira.

Não fiquem é à minha espera para terem esta app, porque a minha competência só dá para imaginar estas situações, não para passar daqui. Além disso, o número de apps inúteis que existem só é equiparado à minha preguiça, por isso é provável que a minha ideia não passe disso mesmo.