Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Queria? Já não quer?

Estabelecimento gerido por taberneiros armados em engraçados.

Catálogo de inutilidades, colecção Primavera/Verão.

Está toda a gente com a felicidade estampada no cu porque a Apple lançou um novo modelo de iPhone, o iPhone SE, supostamente mais modesto e económico.

Ora, quanto vai custar esta nova maravilha da tecnologia, em tamanho e preço menor do que o normal? Decerto poderá ser adquirida com recurso aos trocos que eram para o pão e pouco mais... Ou juntando algumas mesadas aqui e ali...

Pois bem, custa 479,98€!

Teria de ser um pão muito grande, e a mesada teria de nos ser dada pelo governador de um banco português.

Como sou fixe, estive a analisar bem a situação e fui à caça de outros bens e serviços igualmente essenciais que podem adquirir até esse mesmo preço:

 

5060155407005.jpgPor apenas mais um cêntimo, pode comprar um aspirador automático daqueles que andam às marradas pela casa, para lhe aspirar todas as pretensões de conseguir fazer algum dia um pequeno pé-de-meia.

 

foto_BAC44788-1127-4EA7-8D1652A39282279B.jpgPor menor valor, pode adquirir dois colchões - caso um não seja suficiente - para chorar o dinheiro que esbanjou.

 

pack-3-consola-ps4-1tb-1-jogo-a-escolha.jpg.pngTambém por um valor mais baixo, pode usufruir da óptima companhia de uma consola de jogos de última geração - com a oferta de um jogo à escolha -, já que a sua cara-metade não vai estar presente na sua vida por achar que você esbanja demasiado dinheiro e que afinal não é um bom partido.

 

WS29_750px.jpg Por bastante menos dinheiro, pode ainda comprar um elegante anel para a sua própria cara-metade, para a tentar reconquistar e fazê-la ver que você, afinal, sabe gastar dinheiro com coisas importantes, como metais extraídos do subsolo por escravos subnutridos.

 

l_21277130.jpgRestando ainda 60€ para gastar em gelados, pode açambarcar um carrinho de bebé, com cadeirinha incluída, para garantir que os seus filhos ainda terão algum respeito por si, como pai.

 

douro-barca-velha-tinto.jpg Por uns míseros 404€, restando ainda 75€ para gastar em outras coisas, pode comprar um óptimo vinho tinto nacional, para esquecer a merda que fez ao escolher produtos da Apple.

 

Reloj GPS_Garmin_Forerunner 220_perspectiva_izquiePor menos uns trocos, pode comprar dois bonitos relógios que também servem para ir correr, e suar esse sentimento de culpa por ser um esbanjador nato.

 

Já para não falar da verdadeira frota de veículos que poderia abastecer por esse valor, a ver se ao menos estes o ajudam a chegar a algum lado na vida...

Enfim, só boas sugestões.

Ora essa, de nada.

Olha que ler este título faz-te mal...

Há uma moda, que já o é desde sempre, ou, no mínimo, desde que tenho consciência das minhas acções, em que toda a gente pensa saber o que devias ou não devias fazer. Não o digo em relação a casos de dúvida, uma opinião sincera, um conselho sobre alguma coisa, ou a uma simples opinião a pedido, por exemplo: "se eu acho que devias comprar esse casaco? Não. Faz-te parecer um urso polar com lepra ou uma poltrona meia estofada que foi vomitada em cima por um sem-abrigo que tinha comido uma papaia estragada". Não, falo em coisas muito mais óbvias que isto e que carecem de opinião, coisas triviais, do conhecimento de toda a gente no mundo, práticas e comportamentos a ter ou evitar, conselhos inócuos. Já agora, neste caso, se gostas do casaco compra o casaco, só me pediste opinião e disse o que achava. Mas, faz o que quiseres. E é isto o que muita gente parece não perceber ou aceitar.

 

Geralmente são das pessoas mais irritantes que existem. Não porque gostam/praticam aquilo que te aconselham, mas pelo fanatismo e achar que tudo tem de ser como eles e que se não o és é porque não sabes as consequências e só podes ser muito estúpido. Também não falo das pessoas que, genuinamente, se preocupam contigo e tentam fazer-te mudar/adaptar certos comportamentos. Falo exclusivamente daquelas que o fazem só porque sim. Porque devem achar que não sabes os perigos. 

 

O quê? Levar um estilo de vida sedentário é mau para a minha saúde? Quem diria, não fazia ideia. ainda bem que me informas. Comer só "porcaria" vai-me prejudicar? Que surpresa! Não sabia mesmo, obrigado pela informação, vou já alterar todos os meus hábitos. Só nunca o fiz por falta de conhecimento. Porque isso não são coisas que toda a gente sabe! São segredos da vida, que só vocês descodificaram. Ainda bem que passam a mensagem. Vou já a correr para um ginásio, e tratar da minha saúde porque me informaste que não o fazer era mau para mim. Dedicar todos os minutos da minha vida a exercitar-me e a comer bem para poder viver mais tempo e ser saudável e assim ter mais tempo para continuar neste ciclo. Porque é só isso que posso fazer, se quiser viver. Portanto, vou transformar a minha vida numa missão para viver mais tempo. Com isso não consigo fazer mais nada, só tenho uma preocupação: viver mais tempo. Para fazer o quê? Mais nada, que não há tempo. Tenho de continuar neste ciclo para poder viver. 

 

Ah, não comas muita carne vermelha, tem cuidado com os doces, isso está cheio de alimentos processados não o devias comer... A sério? E eu aqui na ignorância. Não sabia disso nem nada. Se o escolhi fazer não pode ter sido na posse desse conhecimento, não é? Tem cuidado a escalar essa estrutura, podes cair e magoar-te... Mais uma vez, ainda bem que me avisam. Não acham que toda a gente sabe? Eu sei as coisas que me fazem mal, o que não devia fazer, aquilo que devia. Eu sei que se ficar muito tempo desprovido de oxigénio morro, não é necessário lembrares-me disso, tal como sei que se me fosse drogar isso seria mau para mim. Eu sei isso tudo. Eu e toda a gente! O que eu não sei, é o que tens tu a ver com isso e o porquê de mo vires dizer como se eu tivesse acabado de nascer. Não sou uma criança que tens de dizer para não molhar os dedos e os ir enfiar nas tomadas, ou para não meteres as mãos no fogo que te vais queimar.

 

O que é que acham? Acham que se forem ter com um viciado em heroína e lhe disserem para não comprar aquela dose e não a injectar mais, que ele, subitamente, vai olhar para vocês e perceber que aquilo era um mau hábito? Acham que ele não sabe? Que não o sabia desde sempre, desde a primeira vez? Que vai largar a seringa e dizer que não fazia ideia que era aquilo que lhe estava a fazer mal, que ainda bem que lhe deram aquela informação? Não. E sim, é um exemplo um bocado extremista e sem muito sentido - e não estou a dizer para não se tentar ajudar essas pessoas, uma coisa não tem nada a ver com a outra - mas é só para ilustrar que as pessoas sabem o que estão a fazer. Parem de achar que não.

 

O que digo é que somos responsáveis pelas nossas acções. Temos o conhecimento, se eu o quiser fazer na mesma, faço. E não percebo o porquê de não o entenderes ou isso te chatear e incomodar. Se corre mal... corre mal. Selecção natural. Continua a não ter nada a ver contigo. Eu sei o que faço. Eu e toda a gente. A única excepção, é quando aquilo que faço interfere com o que tu fazes, aí sim tens todo o direito de falar e tomar alguma acção. De resto, é só comigo. 

 

Sim, eu durmo pouco. Por vezes como em excesso, como carne, como fritos, bebo álcool, não faço exercício suficiente, já olhei directamente para o sol, já saí à rua sem casaco quando estava frio. Já fiz festas a um cão que encontrei na rua. Faz-me tudo mal. Eu sei. Perfeitamente. Todos o aprendemos muito cedo nas nossas vidas. Não é o facto de chegares ao pé de mim e me dares essa informação como se eu nunca tivesse concebido essa ideia, que o vai mudar. 

 

Não comas isso, não faças aquilo, não digas isso, não penses assim, não fumes, não bebas, não te drogues... isso vai matar-te lentamente. Excelente! Não tenho pressa nenhuma para morrer. Lentamente é como gosto. Pelo caminho, deixem-me em paz. 

O lápis verde.

BdC.pngIn: JN

 

"... Bruno de Carvalho pretende também proibir os cartões de cor vermelha nos jogos do Sporting, por considerar ser uma manobra escandalosa da APAF para beneficiar a comunicação do eterno rival, e já avisou os jogadores de que, se se lesionarem durante um jogo, estão proibidos de sangrar, a menos que tenham bebido um frasco inteiro de corantes sanguíneos (disponíveis na Loja Verde a 18€) na noite anterior à partida.

Também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já está avisado de que, se não mudar em breve as cores da bandeira nacional, o Sporting deixará de jogar em Portugal e passará a jogar na Nigéria, que tem «uma das bandeiras mais bonitas do Mundo e que vai totalmente ao encontro dos anseios dos sportinguistas», segundo o dirigente leonino."

Volta ao Mundo em 80 Fontes.

A Bola diz que Miguel Layún, jogador do FC Porto, está no radar do Real Madrid.

Até aqui, tudo bem. Eles lá sabem em que mundo vivem.

Apresentação1xcvb.png"ULTRAS!"

 

O que me faz confusão, realmente, é as fontes do dito jornal. Que não são a imprensa desportiva espanhola, não senhor, ao contrário do que seria expectável, mas sim a mexicana; que, tecnicamente, não é bem imprensa, porque se trata de um site.

Ou seja, nada nisto se aproveita: um jornal português baseia-se numa fonte noticiosa mexicana (noutro continente) para dar uma notícia acerca de um jogador que pode (ou não) ir para Espanha, o país aqui ao lado.

É o mesmo que a minha vizinha querer saber alguma coisa sobre a minha vida e ir perguntar ao meu tio Joe que mora no Canadá.

 

Sim, eu sei que o Layún é mexicano, e tal... Mas eu, por exemplo, sou açoriano e não é por ter nascido lá que os meus pais têm de saber de tudo o que estou a fazer deste lado do oceano.

 

Mãe, pai, estava só a brincar!

Por aqui está tudo bem.

Tema do dia - Super Poderes (#03)

A meu entender um super herói é alguém que usa os seus poderes para salvar o bem-estar de outros, que arrisca a sua própria vida para facilitar a dos outros. Sendo assim, anuncio ja que seria um super-vilão se a ocasião se proporcionasse.

Se me fosse dado poder ilimitado, todas as escadas seriam rolantes para mim, todas as mulheres achar-me-iam atraente e quando alguém estivesse a contar uma história, passaria logo para a parte que realmente interessa. Por enquanto até parece que não sou um malfeitor de primeira, mas no fundo era mais o estupendo homem-conveniência.

Mas duvido que me levassem sempre a bem. É que provavelmente teria também o poder de passar à frente nas filas de espera, talvez até de ser o homem mais bem sucedido do mundo, à custa do fracasso dos meus adversários. Bem mauzão, eu.

Ok, talvez não seja ameaçador o suficiente para ser derrotado pel'Os Vingadores, mas pelo menos um polícia ou dois eram capazes de me tentar parar, ou pelo menos mandavam-me fazer a minha cena pela calada sem incomodar os vizinhos. Principalmente no que toca à minha banda de super poderes. Pois é, vou ter uma dessas, com bongos voadores e tudo.

índice.pngIsto não quer dizer que não conseguia ser maléfico. Eu podia forrar os quartos dos meus inimigos com Legos, por exemplo. Mas a minha maldade vinha claramente de não ajudar ninguém e de só pensar em mim. Não é uma coisa que nações inteiras se unissem para me deter, eu seria mais o homem que passa na rua e uma mãe diz para o seu filho: "Cuidado Martim, não te chegues perto desse senhor".

Seria o Capitão Duvidoso! Ou o Egoísta Atómico! Seria aquele que lembra à humanidade que a vida é injusta e que, às vezes, Deus dá nozes a quem não tem dentes.

Pelo menos tinha uma lição a dar.

Tema do Dia - Super Poderes (#02)

O tema do dia de hoje, ao que parece, é super poderes.

Da minha parte, só gostava de ter dois: o super poder de saber como se escreve correctamente "super poder", e o super poder de aniquilar todas as pessoas que escrevem "puder" quando querem dizer "poder".

 

Ah, e o super poder de fazer compras grátis em qualquer super... mercado.

Supermarket-Troll_o_137383.jpg If you know what I mean...

 

Em relação ao primeiro: então, Srs. Professores das Cenas, em que é que ficamos? Afinal, é "super poder", "super-poder" ou "superpoder"? E agora com esta coisa do novo Acordo Ortográfico, muda alguma coisa ou fica tudo igual? E igual a quê, já agora, que eu nem sei como se escrevia inicialmente?

 

Em relação ao segundo: é só estúpido dizer-se "puder" quando se quer dizer "poder", não há muito mais a acrescentar. Por isso é que quero "puder" aniquilar essa gente à vontade - ha ha... Desculpem.

 

Pronto, é isto. Abraço, seus super coisos!

Ou "super-coisos"?

Espera, ou "supercoisos"?

Pág. 1/12